quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Entenda o que haverá em Compenhague.

Compenhague inicialmente é uma cidade, a capital da Dinamarca, algumas pessoas confundem.

Entenda o que é e o que se pretende na Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas que começou ontem em Copenhague, na Dinamarca.
De 7 a 18 de dezembro, a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, que abrange 192 países, vai se reunir em Copenhague, na Dinamarca, para a 15ª Conferência das Partes sobre o Clima - COP-15.


O objetivo é traçar um acordo global para determinar o que pode ser feito para reduzir as emissões de gases de efeito estufa após 2012, quando termina o primeiro período de compromisso do Protocolo de Kioto.O Protocolo de Kioto, assinado em 1997, durante o COP-3 e ratificado em 2005, estabelecia metas de redução de emissões de gases de efeito estufa para os países desenvolvidos, que historicamente contribuíram mais para a concentração desses gases na atmosfera.

O acordo determina a redução em 5% das emissões, em relação aos níveis de 1990. O primeiro período de compromisso do protocolo termina em 2012, mas a maioria das metas fixadas não foram atingidas. A reunião de Copenhague terá que definir os próximos passos do acordo climático global e como efetivar as ações.

O que está em jogo
O Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática (IPCC, na sigla em inglês), formado por 2,5 mil cientistas, afirma que a Terra já aqueceu cerca de 0,7 graus Celsius (ºC) desde a Revolução Industrial. O IPCC projetou cenários futuros que preveem o aquecimento do planeta em pelo menos 1,8°C até o fim deste século, dependendo das medidas tomadas pelos países para reduzir as emissões.

Metas x Compromissos voluntários
O Protocolo de Kioto previa metas obrigatórias de redução de emissões de gases de efeito estufa para a União Europeia e mais 37 países industrializados. Os países em desenvolvimento, como o Brasil, da China e Índia, não tinham reduções obrigatórias naquele tratado. Metas obrigatórias para esses países, a principio, não deverão entrar no texto que sairá da COP-15, mas essas nações serão cobradas a ter compromissos mensuráveis, reportáveis e verificáveis de redução de emissões em nível nacional. Mas existem divergências quanto a isso, e esse ponto pode ser modificado.

Principais pontos da negociação.
Além das novas metas e compromissos de redução de emissões de gases de efeito estufa para o período pós-Kioto, na COP-15 os países terão que negociar como será feita a transferência de tecnologia de países industrializados para que os países em desenvolvimento possam realizar ações de mitigação e adaptação às mudanças climáticas. O financiamento dessas ações também não está definido. O Banco Mundial estima que sejam necessários pelo menos US$ 400 bilhões por ano para que os países em desenvolvimento enfrentem as mudanças do clima.A preservação de florestas para evitar emissões de gases de efeito estufa deve ser incluída no acordo, no mecanismo de Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação - REDD. É preciso definir como os países que mantêm a floresta em pé serão recompensados: por meio de um fundo com contribuições internacionais voluntárias, com a geração de créditos de carbono negociáveis no mercado ou com um mecanismo híbrido entre fundos e mercado.

Texto adaptado do portal Agência Brasil. Thiago Aguiar

Um comentário:

Cutucador disse...
Este comentário foi removido pelo autor.